Mesmo que ainda estejamos dando os primeiros passos, tentamos enxergar longe. Nossa ideia é que o Farol Jornalismo não fique limitado a este espaço, afinal, estamos pesquisando tendências. Aos poucos, meio que comendo pelas beiradas, vamos ocupar redes populares e essenciais, como Twitter e Facebook, e testar ferramentas novas ou não tão consagradas. Ao mesmo tempo que o blog nasce como um lugar para uma reflexão mais slow, também apontaremos nosso facho de luz para outras direções, abrindo novos canais para vocês acompanharem nossas reflexões.

Todo esse nariz de cera é para apresentar a vocês a revista Tendências no Jornalismo, o braço do Farol Jornalismo no Flipboard. Ela vai ser uma seleção do que de melhor andamos lendo sobre jornalismo na web. A ideia é bem essa mesmo: à medida em que navegamos, vamos mostrando a vocês o que vem nos chamando a atenção, no Brasil e no exterior. Cruzamos por um bom artigo sobre o uso de Twitter no jornalismo? Flip it! Achamos interessante um texto sobre o uso de drones para produzir reportagens? Flip it! A cada flip it, a revista é atualizada com uma nova história. Rápido, fácil e sem muitas delongas. Partiu? Então clica aqui.

Aproveita para conhecer mais o Flipboard, uma das melhores ferramentas de curadoria de conteúdo. Ele foi lançado em 2010 e caiu como uma luva para tablets porque a interface e o jeito de navegar lembram muito uma revista em papel. Dá pra acrescentar perfis das redes sociais, RSS e canais pré-estabelecidos e/ou de veículos tradicionais de mídia. Desde o ano passado, qualquer um pode criar sua revista. Como diz o professor Alex Primo neste artigo, o Flipboard é o lugar onde há uma convivência harmoniosa (inclusive estética) entre as mídia push e as mídia pull, ou, em bom português, entre as notícias que escolhem que a gente leia e as que nos agrada mais ler.

Aproveito para indicar outras três revistas sobre tendências no jornalismo no Flipboard. As duas primeiras são do jornalista e professor Sérgio Lüdtke: a Jornalismo de Dados, que, como o nome diz, reúne materiais referentes ao assunto; e a Interatores, que seleciona o que de interessante é dito no Twitter sobre jornalismo e mídia. A terceira é a da jornalista e pesquisadora em comunicação Aline Mello, a Digital Journalism. Notem que a interface web simula a do tablet, mas a experiência não é a mesma. Acessem, assinem, acompanhem! 🙂