Buenas, gurizada!

Depois de enviar a newsletter da semana passada lembrei que esqueci de falar do lançamento do Manual de Verificação, a versão em português do Verification Handbook. Se vocês não ficaram sabendo, dêem uma olhada nele clicando aqui.

É primeira tradução do Verification Handbook para outra língua. Baita incentivo para melhorar nossos processos de verificação de conteúdo digital. Usem e divulguem!

Falando em verificação digital, essa semana a Anistia Internacional lançou o Citizen Evidence Lab, um site para ajudar jornalistas e profissionais de serviços humanitários a verificar vídeos publicados na web (em um primeiro momento, as ferramentas só funcionam no YouTube). Outro marco para a coberturas globais feitas a distância.

Dá uma olhada no vídeo promocional do serviço. É bem curtinho.

O site tem um passo a passo que ajuda a reunir todas as informações necessárias para diminuir as incertezas em relação ao vídeo. O pesquisador preenche um formulário fornecendo vários dados, desde os mais simples, como a data em que o vídeo foi publicado, até se o usuário que fez o upload já havia publicados outros vídeos antes. Todas essas questões são acompanhadas de explicações e, às vezes, de tutoriais explicando como obter as informações solicitadas pelo passo a passo.

As respostas vão compor um relatório nos formatos doc ou pdf que poderá ser compartilhado com outros pesquisadores para auxiliar futuras investigações.

O site ainda tem outras coisas bem úteis, como tutoriais para aprender a extrair áudio e baixar vídeos do YouTube, além de um exercício para testar as habilidades em verificação de conteúdo digital. Para saber mais, leiam essa matéria do Nieman Lab.

###

Ó, tem plataforma nova de crowdfunding para jornalismo na área: Newspryng. Mas ao contrário da forma tradicional de financiamento coletivo, em que as pessoas pagam para que algo seja produzido, a proposta da Newspryng é diferente. As histórias já estão lá e podem ser lidas de graça. Se gostarem, os leitores podem contribuir.

Ao Journalism.co.uk, Matthew Chapman, que está à frente da plataforma, disse que a proposta é “qualquer um com uma grande história pode vir e publicá-la, levantando dinheiro diretamente da audiência”. É uma aposta, mas ele acredita que vai vingar. Mas a ideia nova não é bem nova. O The Big Roundtable já vem fazendo isso há algum tempo – embora o formato seja mais longform do que o Newsprying.

###

Este artigo assinado por Liliana Bounegru, que lidera uma iniciativa em treinamentos de jornalismo de dados no European Journalism Center (o mesmo que publicou o Verification Handbook), chama a atenção para algo cada vez mais evidente: o grande potencial existente no oceano de dados que circula na internet. Mas não só as informações que estão na superfície da rede. Ela fala de dados e metadados gerados por aplicativos, buscas, sites, etc geralmente deixados de lado, mas que podem gerar boas histórias quando reunidos, contextualizados e transformados em matérias.

Mas para fazer isso é preciso aprender um pouquinho de programação. Então dá uma olhada nessas nove plataformas grátis para aprender a programar. 😛

Bueno, era isso então.

Bom findi e até a semana que vem! 🙂

Moreno Osório