Texto originalmente enviado por email para os assinantes da Newsletter Farol Jornalismo (assine). Link original do texto.

Buenas, gurizada!

Estou de volta a Porto Alegre aos trabalhos que deixei para trás para fazer turismo em Portugal durante uma semana. Por isso o atraso da newsletter. Malzaê.

Sem perder muito tempo, vamos nessa.

Primeiro, três coisinhas relacionadas a coberturas factuais da semana.

1) Kristen Hare, do Poynter, escreveu sobre os cuidados tomados pelos repórteres que estão na África cobrindo a epidemia do vírus ebola. Além de contar um pouco como é a rotina dos jornalistas, ela os reuniu em uma lista no Twitter. Muito útil para quem está acompanhando o assunto. 2) Vocês viram essa ferramenta para buscar os nomes dos soldados britânicos que morreram durante a Primeira Guerra Mundial? 3) E esse vídeo interativo da BBC sobre a ascenção do ISIS no Iraque?

Volta e meia ouvimos alguém falar sobre a importância dos relatos dos leitores/usuários para o jornalismo atual. Aqui tem mais um, do Media Shift. O texto sugere alguns comportamentos para jornalistas serem bons curadores de informação, como “dar poder a correspondentes comunitários” ou trabalhar bem o conteúdo gerado pelos usuários, valorizando-o. O que é interessante neste caso nem são as dicas em si, mas a tentativa de sistematizar um modo de tratar esse tipo de informação.

O mesmo Media Shift discute se as mídias sociais são as responsáveis pelo aumento de fotos fortes na imprensa, principalmente devido às coberturas do MH17 e de Gaza. O texto não chega a conclusões, mas o debate é interessante e necessário. Embora fotos com conteúdo pesado sejam importantes para mostrar os horrores de determinadas situações, e mesmo que esses conteúdos circulem livremente nas redes sociais, os veículos de imprensa sempre têm a possibilidade de não publicá-las.

Outras três coisinhas rápidas. 1) Três cenários para o mercado de notícias nos próximos anos ajudam a tentar prever o que pode acontecer com os jornais. 2) Quer dicas para preparar uma boa entrevista? Então leiam isto. 3) Quer entrar ara o meu time e colaborar com os estudos acadêmicos sobre jornalismo? Talvez ler este texto do Journalism Resource seja um bom começo.

Ontem estreou o Mercado de Notícias, documentário sobre jornalismo dirigido pelo Jorge Furtado. Se vocês ainda não viram, coloquem na agenda. É obrigatório. A fan page do filme no Face tá reunindo o que anda saindo na imprensa.

Bueno, era isso então.

Bom findi e até a semana que vem! 🙂

Moreno Osório